top of page

Metas Significativas: Como Definir Compromissos que Valem a Pena

Um novo ciclo acaba de começar. Para quem se baseia no calendário gregoriano, são 365 novos dias para fazer o que quiser. É uma oportunidade para fazer muita coisa. Transformar-se por completo (ou não). A escolha está nas suas mãos. O que vai ser?


Já teve a sensação de criar metas e não se sentir como imaginava que se sentiria ao alcançar aquele objetivo? Ou alcançar aquilo que havia se proposto e mesmo assim, continuar sentindo-se incompleto, insatisfeito?

Em primeiro lugar, temos a expectativa que nasce ao criarmos uma nova meta (algo que falaremos neste texto). Em segundo lugar, temos os reais compromissos que assumimos ao definir a meta em questão.

Pensa comigo. Quantas vezes você já se sentiu insatisfeito com sua vida? Com sua rotina, seu corpo, trabalho, relacionamentos? O que de fato fez para mudar isso?

A pergunta que deve ser respondida é como quero me sentir quando alcançar esta meta. A meta em questão pode de fato me proporcionar este sentimento? Quando você realmente definir como quer se sentir e, for sincero de fato com as metas que se propôs, você estará no caminho.



Como Lidar com as Expectativas ao Criar Metas

Lidar com as expectativas ao criar metas é crucial para promover um crescimento saudável e evitar frustrações desnecessárias ao longo do caminho.

O passo zero antes de pegar caderninho e caneta para escrever suas metas é uma auto avaliação sincera. Faça uma avaliação honesta de suas habilidades, pontos fortes e áreas de melhoria. Isso ajudará a estabelecer metas que estejam alinhadas com suas capacidades atuais e responda a pergunta crucial:

  • Por que?

  • Por que quero isto?

  • Por que de fato isso é importante para mim?

Feita uma sincera auto avaliação, o primeiro passo de verdade é ser realista, estabelecendo metas alcançáveis e realistas. A maioria das metas de começo de ano já são dadas como perdidas logo ao ser escritas no caderninho de metas justamente pela falta de autoconhecimento (ou excesso de autoconfiança). Aqui é necessário uma grande dose de autoconhecimento. O começo do ano inspira muita gente a criar novas metas de vida, mas o que ninguém te fala é o exercício de auto avaliação necessário antes de criar as metas. Considere suas habilidades, recursos disponíveis e o tempo necessário para atingir cada objetivo.

Em segundo lugar, divida as metas em compromissos menores. Quebre metas grandes em metas menores e mais gerenciáveis. Isso tornará o processo mais fácil de acompanhar e proporcionará uma sensação de realização à medida que você alcança cada etapa. Vamos tomar como exemplo uma pessoa que quer ser mais focada e desenvolver o hábito de meditar. Esse exemplo funciona bem, por que afinal de contas, nesta caminhada do autoconhecimento quem nunca se desafiou a meditar partindo do zero? Ao definir a importância, a motivação (o tal do por que) neste exemplo da meditação, agora é hora de dividir a meta em compromissos menores (cultivar momentos de silêncio durante o dia, antes de deitar silenciar os pensamentos...).

Não esqueça da importância da flexibilidade. Esteja disposto a ajustar suas metas conforme necessário. A vida é dinâmica, e circunstâncias inesperadas podem surgir. Adapte suas metas de acordo com as mudanças nas condições e prioridades. A flexibilidade é importante para não desanimar ao surgirem possíveis imprevistos.

Celebre pequenas conquistas. Tão importante quanto as metas em si, está a celebração de pequenas conquistas. Reconheça e celebre as vitórias, mesmo as menores. Isso reforçará uma mentalidade positiva e motivará você a continuar avançando. No exemplo da meditação, celebre ao alcançar uma semana de prática meditativa ininterrupta - não pular nenhum dia é uma baita conquista para quem está iniciando um novo hábito.

Assim como a auto avaliação, avaliar o ambiente em que se vive é de extrema importância ao criar metas. Gerencie as expectativas externas (e se possível, conquiste aliados externos). Comunique suas metas e limitações a pessoas ao seu redor. Isso ajuda a evitar expectativas irreais dos outros e proporciona um ambiente de apoio.



Os Principais Desafios ao Definir Metas

Uma coisa é fato, os desafios sempre vão existir. O que torna o desafio maior ou menor, é a nossa atitude frente a eles.

O X da questão é tornar os desafios parte do aprendizado. Aprenda com desafios. Encare os obstáculos como oportunidades de aprendizado. Analise o que deu errado, ajuste suas estratégias e use as experiências para crescer.

Com os desafios, é muito comum surgir o sentimento de culpa - onde foi que eu errei! Se você está lendo isso, não caia nesta cilada... Pratique a Autocompaixão. Reconheça que todos enfrentam desafios ao longo do caminho. Seja gentil consigo mesmo quando as coisas não saírem como planejado.

Crie o hábito de reavaliar periodicamente suas metas e compromissos. Regularmente revise suas metas e ajuste-as conforme necessário. Suas prioridades e circunstâncias podem mudar ao longo do tempo, e suas metas devem refletir essas mudanças.

Toda meta tem como objetivo nos direcionar para uma versão melhorada de nós mesmos, um Eu melhorado e, desafios sempre vão surgir, por isso mantenha o foco no processo. Concentre-se no processo de alcançar suas metas, não apenas no resultado final. Isso ajuda a reduzir a pressão e a permitir que você aprecie a jornada.

Ao aplicar essas estratégias, você estará melhor preparado para lidar com as expectativas ao criar metas, promovendo um progresso mais equilibrado e satisfatório em sua jornada de autoconhecimento.



O que é Fazer uma Auto Avaliação

Fazer uma autoavaliação envolve o processo de reflexão sobre si mesmo, suas experiências, habilidades, metas e áreas de melhoria. É uma prática fundamental no desenvolvimento pessoal e profissional, permitindo que você ganhe uma compreensão mais profunda de quem é e onde deseja ir.

O processo de auto avaliação inclui reflexão pessoal, avaliação de habilidades e competências, analisar experiências passadas, identificar pontos a serem melhorados, reconhecer conquistas, planejar o futuro e principalmente estar disposto a conhecer a pessoa mais importante na sua vida: você!

A autoavaliação é um processo contínuo que contribui para o crescimento pessoal, a tomada de decisões informadas e o desenvolvimento de uma visão mais clara de si mesmo. Ao se autoavaliar regularmente, você pode ajustar suas metas e estratégias para se alinhar às mudanças em sua vida e buscar uma jornada mais significativa e satisfatória.



Como Fazer uma Auto Avaliação

Já teve a sensação de seguir metas (que você mesmo definiu) que parecem ter sido definidas por outra pessoa? Na maioria das vezes isso acontece por uma falha na etapa zero de definição de metas: a autoavaliação.

O comprometimento só vem quando o que nos propomos realmente toca o coração.

Para isso, é necessário avaliar profundamente o por que se quer o que se quer, para de fato definir o que se quer. Pode parecer confuso, mas não é.

Mas afinal, como fazer uma autoavaliação sincera?

  1. Reflexão sobre Habilidades e Talentos: Pergunte a si mesmo: Quais são as minhas habilidades e talentos? O que eu faço bem naturalmente que não requer esforço?

  2. Identificação de Pontos Fortes e Fracos: Liste suas áreas de destaque (pontos fortes) e aquelas que precisam de desenvolvimento (pontos fracos).

  3. Olhar para Experiências Passadas: Olhe para suas experiências anteriores, tanto pessoais quanto profissionais. Pergunte a si mesmo: O que aprendi com essas experiências? Quais foram meus sucessos e desafios?

  4. Reconhecer Interesses e Paixões: Considere suas paixões e interesses. Pergunte a si mesmo: O que realmente me motiva? No que eu gostaria de investir meu tempo e energia?

  5. Avaliação do Tempo Disponível: Avalie quanto tempo você tem disponível diariamente ou semanalmente para dedicar a novos objetivos.

  6. Análise das Limitações e Compromissos: Reconheça as limitações, como recursos financeiros, tempo restrito, entre outros. Pergunte a si mesmo: Quais são os obstáculos potenciais que posso enfrentar?

  7. Consulta a Feedback Externo: Busque feedback de amigos, familiares ou colegas confiáveis. Pergunte a eles sobre suas habilidades, pontos fortes e áreas de melhoria.

  8. Alinhamento com Valores: Identifique seus valores pessoais. Pergunte a si mesmo: Essas metas estão alinhadas com o que é mais importante para mim?

  9. Reconhecimento de Conquistas Pessoais: Lembre-se de suas realizações passadas, grandes ou pequenas. Pergunte a si mesmo: O que já alcancei que me deu satisfação?

  10. Definição de Objetivos Realistas: Com base nessas reflexões, estabeleça metas que se alinhem com suas habilidades, interesses e limitações.

A autoavaliação é um processo contínuo, e essas perguntas simples podem ajudar a orientar seus pensamentos enquanto se prepara para definir metas realistas e alcançáveis. Lembre-se de ser honesto consigo mesmo e ajustar suas metas conforme necessário ao longo do tempo.


Sobre mim

Letícia Lima Terapia Holística
Letícia Lima Terapia Holística

Eu sou Letícia Lima, terapeuta holística e uma eterna aprendiz.


Apaixonada pela vida em todas as suas formas e faço do despertar um propósito de vida.




コメント


bottom of page